Perguntas Frequentes sobre Acupuntura Veterinária

-A acupuntura veterinária é segura?

Sim a acupuntura veterinária é muito segura desde que seja praticada por um médico veterinário capacitado para interpretar e aplicar o tratamento seguindo os princípios da Medicina Tradicional Chinesa.

- A acupuntura feita nos animais é a mesma que se faz em seres humanos?

Sim, a teoria da acupuntura que é baseada na MTC (Medicina Tradicional Chinesa) e suas várias técnicas são as mesmas utilizadas em seres humanos.

-A acupuntura veterinária causa dor?

Assim como nos seres humanos cada animal apresenta uma reação diferente quando é inserida a agulha, denominada “sensação da acupuntura” ou “Qi” e pode ser sentida como um formigamento, torpor, ou como uma “corrente elétrica” ou choque passando pelo corpo, assim sendo os animais podem sentir e reagir a um ou outro ponto.

-Os animais aceitam bem as agulhas de acupuntura?

Sim, a grande maioria aceita bem as agulhas, e inclusive relaxam e chegam a dormir durante a sessão.

-Quais são as contra-indicações para acupuntura animal?

A acupuntura veterinária tem restritas contra-indicações, como a inserção de agulhas sobre dermatites ou áreas tumorais. Também não é recomendável durante a fase aguda da cinomose, somente na fase crônica, ou tardia.

-Para quais doenças a acupuntura veterinária é indicada?

As principais indicações são:

Neurologia: seqüelas de cinomose, paralisias de face e membros por lesões nervosas centrais ou periféricas, epilepsia.

Aparelho locomotor: Patologias do disco intervertebral, espondiloses (“bico-de-papagaio”), artrite e artrose, muito comuns em animais idosos, displasia coxo-femoral e de cotovelo.

Outros: Processos crônicos e agudos de dor por diferentes causas, sendo indicada, inclusive para neoplasias, para amenizar o sofrimento e proporcionar o bem-estar do animal, pois além de promover analgesia, a terapia estimula o sistema imune e pode ser usada em associação ao tratamento convencional.

-Como é feita a sessão de acupuntura veterinária?

Cada sessão dura entre 20 a 40 minutos, dependendo de cada paciente, no começo as sessões variam entre 1 a 2 vezes por semana, mas dependendo do quadro e gravidade da patologia. A duração do tratamento vai depender muito da patologia do animal, sendo necessárias entre 4 a 8 sessões para avaliação da resposta individual de cada paciente, após o tratamento pode ser feito um controle quinzenal ou mensal dependendo de cada animal.

- Os pontos de acupuntura podem sangrar?

Sim. Os principais motivos do sangramento ocorrem pela estagnação de energia e sangue nos canais de energia, assim sendo ao ser retirada a agulha a energia é liberada ocorrendo o sangramento, e também devido a congestão vascular local decorrente da patologia do animal.

– No caso de um animal muito agitado, ou muito bravo é possível realizar uma sessão de acupuntura? Ele precisa ser anestisiado, ou sedado?

É possível utilizar algumas técnicas não invasivas para a estimulação dos pontos de acupuntura, como por exemplo o Hai-Hua (acupunura sem agulhas), laser, moxabustão, acupressão e a fitoterapia para tentarmos chegar a um bom resultado. apenas em último caso o animal poderá ser tranquilizado mas mas grande maioria os animais aceitam as diversas técnicas de estimulação.

- Quantas sessões de acupuntura meu animal vai precisar?

Isto vai depender da patologia a ser tratada, do tempo que ela está presente, do grau de gravidade e da resposta individual de cada animal. Em média, a freqüência das sessões é semanal. Em casos agudos e mais graves, podem ser feitas duas vezes na semana ou mais. À medida que o animal vai melhorando, vai diminuindo a freqüência das sessões.

- O tratamento com acupuntura pode ser realizado junto com o tratamento convencional (alopático)?

Sim, a acupuntura veterinária entra na medicina complementar, assim sendo ela entra para ajudar e complementar a terapia convencional. O uso e a frequencia das medicações são discutidas entre os profissionais visando no bem estar animal.

- É possível tratar distúrbios emocionais, como ansiedade e agressividade,  por meio da acupuntura?

É possível sim. Hoje em dia é comum proprietários recorrerem a tratamentos com Medicina Complementar para tratar distúrbios que eles mesmos já perceberam ser de fundo emocional. O sucesso do tratamento depende de um trabalho em conjunto com os proprietários, manejo do ambiente e hábitos familiares, além de uma avaliação detalhada do comportamento do animal e da familia, nivel de exercício e disciplina importos a ele, e se possível, e extremamente recomendável, que o animal também passe por uma avaliação com profissional especializado em comportamento e psicologia canina.